quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Suburbia

O tempo sempre dá razão aos bons filmes. Pecados Íntimos, de Todd Field, e Férias de Amor, de Joshua Logan, têm a mesma preocupação com a infelicidade e a apatia dos americanos médios, e o poder do sexo como propulsor de mudanças. Estão separados por mais de 50 anos. A diferença é que o filme conservador é o novo, indie, e não o produtão da Columbia.
Enquanto no filme de Logan duas pessoas se arriscam na vida, sozinhos, casados, no dia seguinte ao que se conheceram, Pecados Íntimos poda seus personagens numa lição de moral muito da improvável. Enfim, talvez as pessoas fossem mais livres nos anos 50.
Ainda assim, com todos os problemas, Pecados Íntimos é intrigante. Cena a cena, é incômodo, anormal. Pode não ser redondo no todo, mas pelo menos é capaz de despertar o espectador da indiferença. E, claro, há Kate Winslet, a melhor atriz de língua inglesa desde Meryl Streep.
Sem tempo, termino o post com a fantástica cena de sexo de Férias de Amor, com William Holden e Kim Novak.

6 comentários:

Gabi disse...

saymon! blz?
é, eu vi o clipe. menino, eu achei engraçado o começo, a kim novak batendo palmas, pra lá e pra cá. quem sabe se eu assistir o filme, eu entro no clima, né

=**

Roberto Queiroz disse...

Eu também achei Pecados Íntimos um filme cheio de falhas, porém o diretor Todd Field me conquistou por criar personagens corajosos (principalmente a dupla Kate Winslet e Patrick Wilson). Poderia ter focado mais a história nos dois casais e achei o personagem que faz o marido de Kate Winslet (o viciado em pornografia da internet) muito mal trabalhado, mas é um filme a ser assistido pela grandiosidade do tema abordado.

(http://claque-te.blogspot.com): Perfume - A História de um Assassino, de Tom Tykwer.

Saymon Nascimento disse...

Pois é, acho que o pedófilo deveria ser mantido à distância, como uma presença sem nome - a cena da piscina é perfeita.
Só não acho que há alguma grandiosidade no tema. Filme deve ser visto pelo ponto de vista realmente cínico e bem-humorado, sem ser pretensioso. Gostei.

André Setaro disse...

Interessante como 'Férias de amor' ('Picnic') cativou tanto a crítica dos anos 50, chegando mesmo Sérgio Augusto a o incluir em sua lista dos dez maiores de todos os tempos. Talvez você não faça idéia do 'frisson' provocado pelo lançamento de 'Picnic' em fins da década de 50, principalmente naquela que era o centro cultural do país: a cidade do Rio de Janeiro. Paulo Perdigão é outro que escreveu páginas e páginas no antigo (e sisudo) Correio da Manhã. A dança de Kim Novak e William Holden foi sonhada por anos seguidos. E estou me referindo às pessoas mais cultas. Estas se extasiaram com 'Picnic'. Mas, exibindo num semestre pretérito 'Picnic' na Facom, senti, apenas, apatia, indiferença. Alguns, mais afoites, chegaram a dizer, na cantina, que "Setaro está exibindo filme da sessão da tarde da Globo".

Antonio Roberto disse...

Olá Saymon,
gostei muito do seu site e do nome dele Esperando Godard.Muito boa sua critica dos Pecados Intimos, filme que gostei muito, com mensagens subliminares tipo Beleza Americana. O que valeu também foi o video de Picnic,um filme que marcou gerações.
abs
Antonio

maria luiza disse...

Assisti ao Ferias de Amor qdo tinha 12 anos, perturbou muito minha libido, era demais. O Holden era o mais sexy da época, o filme exala sensualidade em todas as cenas, e falava do que era tabu na época, repressão,quebra de normas, liberação, competição, foi lindo demais este filme.