sexta-feira, fevereiro 27, 2009

High and Low

Para encerrar esse assunto de Oscar, fui dar uma pesquisada para conferir se Slumdog Millionaire era realmente o pior filme a vencer o prêmio principal da academia. Eu não vi 10 dos 81 premiados, mas, tirando esses, acho que só Crash - No Limite consegue ser pior. Nesse rol dos terríveis, duas outras catástrofes também foram laureadas nos anos 2000: Uma Mente Brilhante, de Ron Howard, e Gladiador, de Ridley Scott.

Crash leva o prêmio por todos os motivos já conhecidos. Sua incrível apelação e falta de respeito à inteligência do espectador se manifesta nos diálogos didáticos ("Somos todos racistas às vezes"), toscos/básicos ("Estou transando com uma mexicana"), e melodramáticos ("Estou com raiva o tempo todo e não sei o porquê"), no tom exagerado dos atores (interpretam seus personagens sem cinzas como se fosse novela de Glória Perez, lá em cima - Sandra Bullock é a pior), e principalmente, na histeria da direção, que não hesita em subir música para arrumar as lágrimas mais fáceis e abjetas do cinema recente. Tem até uma canção final para a autocongratulação da plateia. No fim das contas, o filme passa por brancos e pretos e continuamos sem cinzas, rumo a um tranquilizante e ecumênico processo de recomeço - "Somos assim mesmo", chorei e posso ir pra casa. Slumdog Millionaire compartilha esse realismo-social de pacotilha com menos melodrama e mais cinismo. Os outros concorrentes são só maus filmes, óbvios, medíocres, mas capazes de se auto-embalar numa aura de prestígio. O pior é que para cada vitória absurda, ao menos um grande filme deixou de ser premiado, como se pode ver abaixo:

Os dez piores "Best Picture":



10 - Kramer vs Kramer, de Robert Benton (venceu All That Jazz e Apocalypse Now)
9 - Laços de Ternura, de James L. Brooks (venceu Os Eleitos)
8 - O Maior Espetáculo da Terra, de Cecil B. DeMille (venceu Depois do Vendaval)
7 - Ziegfeld, de Robert Z. Leonard (venceu O Galante Mr. Deeds)
6 - Beleza Americana, de Sam Mendes (venceu O Informante)
5 - Rocky - Um Lutador, de John G. Avildsen (venceu Rede de Intrigas, Taxi Driver e Todos os Homens do Presidente)
4 - Uma Mente Brilhante, de Ron Howard (venceu Moulin Rouge)
3 - Gladiador, de Ridley Scott (venceu O Tigre e o Dragão)
2 - Quem Quer Ser Um Milionário?, de Danny Boyle (hum... não tem grande filme? Não vi Milk e Frost/Nixon)
1 - Crash - No Limite, de Paul Haggis (venceu Munique e O Segredo de Brokeback Mountain)

Já a lista dos melhores prova como, apesar de toda a tentativa de demonização da indústria, Hollywood pode produzir o mais perfeito cinema do mundo. Não há nenhum filme especialmente revolucionário ou difícil, mas a maestria pode vir da boa administração da linguagem já estabelecida. Para mim, o melhor de todos (e melhor filme de todos os tempos) é o épico intimista Lawrence da Arábia, um mastodonte que tinha tudo para ser mais uma peça histórica auto-importante, mas que sabe usar seu cenário grandioso para avançar fundo dentro de uma personalidade das mais complexas. Não consigo pensar, hoje em dia, num filme desse tamanho que termine de maneira tão ousada, num fracasso não-redentório.

Os dez melhores "Best Picture"



10 - Sindicato de Ladrões, de Elia Kazan
9 - O Franco-Atirador, de Michael Cimino
8 - Perdidos na Noite, de John Schlesinger
7 - Casablanca, de Michael Curtiz
6 - Aconteceu Naquela Noite, de Frank Capra
5 - A Malvada, de Joseph L. Mankiewicz
4 - Se Meu Apartamento Falasse, de Billy Wilder
3 - O Poderoso Chefão, Parte II, de Francis Ford Coppola
2 - O Poderoso Chefão, de Francis Ford Coppola
1 - Lawrence da Arábia, de David Lean

10 comentários:

Minêu disse...

Jai ho, Saymon. Jai ho!

Minêu disse...

Só pra registrar: acho Gladiador tão bom (ou tão ruim) quanto Titanic. E Beleza Americana tb venceu O Sexto Sentido. Vai ver por isso o indiano (M. Night) pirou e deixou de fazer bons filmes.

Saymon Nascimento disse...

1 - Vc e Mirdad são mesmo gêmeos. Vc invoca com Gladiador e ele com Coração Valente. Mas eu concordo mais com ele nesse quesito épicos-descartáveis-oscarizados.

2 - Titanic tem Kate Winslet de vantagem, e é bem mais vertiginoso em seu fator-surpresa: convenhamos, vc nunca viu um navio daqueles afundar com tantos detalhes eletrizantes, ao passo que eu pude antecipar cada fotograma de Gladiador.

3 - Tá, O Sexto Sentido é bom demais. Mas o cara se recuperou... Você viu Fim dos Tempos? Uma maravilha: estamos finalmente livres das lições de moral e ficamos expostos totalmente a um show de mise-en-scene. Vários uaus na cadeira do cinema, vontade de aplaudir ao final.

Tuma disse...

Irrepreensíveis suas listas, Saymon. Acho inclusive que Slumdog Millionaire (que eu não odiei tanto assim) ter ganho é um acontecimento que se insere na "tradição" do que aconteceu com Rocky em 76 (filme que gosto bastante, apesar da injustiça, claro). O Oscar, e, a bem da verdade, os prêmios em geral, nunca vão deixar de ter sua cota de política, não importa em que forma esta apareça.
Abraço,

Minêu disse...

Acho Gladiador um filme muito bem produzido, mas igualmente bobo. E, segundo vc mesmo, tem Russel Crowe de vantagem. Jai ho.

Andreia Santana disse...

Concordo com Tuma quando fala sobre as questões políticas, o lobby em torno do Oscar e o quanto isso promove injustiças desde a origem do prêmio. Mas é engraçado, embora Crash tenha vários defeitos que o tornam bem rasteirinho, incluindo Sandra Bullock, que não me convence em quase nada que faz, na época que vi não saí do cinema achando que "somos assim mesmo" até porque, já entrei lá sabendo que as questões raciais são extremas e delicadas. Minha vontade era comprovar a teoria e ver de que forma os americanos iam expor sua ferida. O contexto geral é decepcionante, mas tem alguns momentos que ficam na memória. Acredito que filme é estado de espírito, pelo menos pra mim. Mas suas listas estão geniais, isso é fato.

Saymon Nascimento disse...

O problema, Andreia, é que você, no caso, foi uma das poucas que não caiu na armadilha, porque o filme tenta com força imprimir sua mensagem conformista. Eles atṕe colocaram a frase "Somos racistas às vezes numa música", encenada de maneira "emocionante" à We Are The World, enquanto vemos todos os personagens, e, por extensão, nós mesmos. É quase uma propaganda de fim de ano da Globo, um congraçamento coletivo que simplifica uma questão nivelando-a por baixo. Não somos todos racistas. Alguns são, outros não. Há cinzas.

Franchico disse...

Ô Saymon, desculpe aparecer assim, sem avisar, mas entre Uma Mente Brilhante e Moulin Rouge, fico, feliz da vida, com o primeiro.

Moulin Rouge é o filme mais imbecil, superficial, bichinha-histérica, maneirista e retardado de TODOS OS TEMPOS.

Romance musical para a senhora dona de casa, mas com péssima (senão esquizofrênica) escolha das músicas. Uma ânsia de parecer moderno e descolado, misturando Madonna com Nirvana (!!) e muitos movimentos de câmera "ousados".

Se Crash parece coisa de (in)Gloria Perez, MR parece musical da Cláudia Raia de diarréia, com roteiro assinado por Manoel "Maneco" Carlos e direção de "Jorginho" Fernando.

Enfim: eu odeio Moulin Rouge. Prefiro assistir dez filmes com Russel Crowe ou dez Crashes na sequencia do que ser obrigado a aguentar cinco minutos daquele purgante.

Ah! Seu blog é do caralho, parabéns.

Roberto Fontes disse...

MANO, C TA LOCO? KRAMER VS. KRAMER É FODS.

Fábio Henrique Carmo disse...

Saymon,

Primeiro, parabéns pelo seu blog.

Mas sou obrigado a concordar com o Franchico acima. Considero Moulin Rouge uma chatice sem fim, um filme extravagante e afetado. Prefiro mil vezes qualquer filme do Ron Howard, por mais medíocres que sejam, do que ter que aturar um filme mala como esse.

Ah, e o Rocky é um filme muito bom.